Upcycling: Saiba mais sobre essa Tendência

Upcycling é a reutilização criativa de materiais e produtos que normalmente já chegaram no final da vida útil ou deixaram de possuir valor comercial. Essa técnica do upcycling é uma das muitas formas de cuidar do meio ambiente e de ser mais sustentável, pois é evitado o desperdício de materiais além de fazer com que um novo produto não seja produzido.

No upcycling tudo se reinventa, ganha novas funções, utilidades e design. Um pallet vira sofá, um jeans velho se transforma em capa de almofada, uma porta antiga vira cabeceira de cama, e por aí vai.

Não é reciclar. É reutilizar um material que se tornaria lixo, aproveitando suas propriedades originais.

Mas imagens valem mais que mil palavras, concordam?

Veja alguns itens que vocÊ pode reutilizar e dar um up em seu lar;

Que ideia mais genial! bicicleta para o apoio de pia e um tambor que virou mesa de canto.
Luminárias feitas com skate velho e placas de carro
O bom e velho pallet aqui ganhando rodinhas e tampo de vidro.

Confira abaixo uma galeria de fotos com algumas inspirações para você e comece já!

Espero que tenham gostado dessa dica 🙂

Urban jungle: descubra as características dessa tendência!

Diante da busca por resgatar o contato com a natureza, a tendência de urban jungle ganha destaque em todo o mundo. Conheça suas características e como aplicá-la!

Na hora de decorar um imóvel, é cada vez mais comum não olhar só para dentro. No lugar de considerar apenas os móveis, quadros e itens “internos”, há uma tendência de enxergar o mundo de fora como componente do lar — esse movimento tem nome e sobrenome: urban jungle.

Essa decoração tem ganhado projeção. E para explicar melhor essa alternativa, Dieiny Kipper e Lízia Witzel, as Arquitetas Online, contaram o que direciona as escolhas de tal possibilidade.

Ao entender as características marcantes dessa abordagem, fica fácil replicar em seus projetos para clientes exigentes. Além de trazer muita personalidade, é uma forma de resgatar um contato com a natureza que parece perdido nas grandes cidades — mas que está mais próximo do que dá para imaginar.

Que tal descobrir como essa tendência pode ser utilizada? Continue a leitura e descubra as características da pegada urban jungle.

O que é urban jungle?

Em tradução livre, a tendência de decoração é conhecida como “selva urbana”. O nome já indica que se trata de uma ideia com bastante verde e máximo contato com a natureza.

“O estilo Urban jungle nasceu para trazer a natureza para dentro dos lares e inseriu o verde na decoração como forma de gerar vida, aconchego e bem-estar nas moradias urbanas”, revela a dupla de profissionais.

Além do verde como aspecto central, existe uma tendência de criar um local com materiais naturais. Madeira, palha e outros componentes que remetem ao ambiente externo ganham espaço entre as paredes do imóvel. Mais que um estilo com regras definidas, é um movimento de recuperação por parte dos jovens adultos que, muitas vezes, ocupam seus próprios lares pela primeira vez.

Como oferece bastante versatilidade, também garante um nível elevado de adaptação. Qualquer pessoa que entenda como cuidar das plantas tem a chance de explorar essa possibilidade.

“É para todos aqueles que adoram cuidar de plantas e conhecem a necessidade de cada espécie. Para quem deseja muito ter uma casa nesse estilo, mas não tem intimidade com plantas, pode pesquisar sobre os cuidados de cada tipo. Assim, dá para começar esse ‘relacionamento’ que traz grandes benefícios para o imóvel e seus moradores”, ponderam.

Como surgiu a tendência?

As mudanças na sociedade são, na verdade, os grandes motivadores para o surgimento do urban jungle. O motivo é simples: com um volume crescente de concreto e com cidades populosas, a natureza fica distante.

No mar de concreto que são as grandes cidades, a busca por algo natural é um movimento que faz sentido. Isso vale para uma sociedade que está progressivamente conectada aos celulares e que pouco vê o mundo lá fora. Trata-se de uma tendência relativamente moderna, já que esse desenvolvimento e a imersão na tecnologia têm alguns anos.

“Com o aumento das grandes construções e, consequentemente, do desmatamento, estamos cada vez mais afastados da natureza. Quando tiramos férias, procuramos ficar mais próximos, mas quando voltamos para casa, sentimos falta da qualidade de vida e da incrível sensação visual que ela nos traz”, explicam as Arquitetas Online.

Essa decoração, portanto, não tem um caráter apenas estético. A intenção inclui recriar o visual de uma floresta urbana e montar um ambiente único. No entanto, também tem a ver com bem-estar, sensação de satisfação e estímulo aos sentidos.

Como inserir plantas dentro de casa?

Não existe floresta sem plantas, certo? Então, é imprescindível pensar em como inserir esses elementos dentro de casa para adotar a proposta de urban jungle.

A seguir, descubra como inserir as plantas no lar e crie um espaço particular de floresta!

ENTENDA AS NECESSIDADES DAS PLANTAS

 

3378064

Cada espécie apresenta um conjunto de características, então não dá para criar uma fórmula única de cuidado. No entanto, é essencial compreender que plantas são seres vivos, por mais resistentes que sejam. Logo, a atenção tem que ser constante — e o comprometimento, também.

Como bem explicam as Arquitetas Online, “todas elas necessitam de empenho para darem certo: luz (direta ou indireta), ventilação, adubação e rega correta são essenciais”. Então, saiba que dedicar um pouco de tempo será fundamental para obter o sucesso ao adotar esse estilo.

Você não precisa ser profissional no tema e nem fazer cursos ou ter experiência. No entanto, deve estar pronto para reconhecer as necessidades de cada vaso e o melhor jeito de cuidar. Assim, é possível selecionar as alternativas indicadas para deixar os clientes satisfeitos.

FIQUE DE OLHO NOS VASOS PENDURADOS

Para diversificar o ambiente e conseguir uma finalização interessante, vale pensar no uso de vasos suspensos. Ao mesmo tempo, é preciso ter alguns cuidados para que o resultado não cause problemas extras.

Os autoirrigáveis, segundo as arquitetas, são as melhores opções para usar de maneira suspensa. Isso evita o aparecimento de goteiras, o que ainda impede a sujeira no espaço — seja na sacada, seja dentro de casa.

Além disso, é preciso ficar atento à altura onde houver circulação. Ela deve ser maior que o tamanho médio de uma pessoa, para evitar impactos e acidentes. “Caso estejam acima de móveis ou perto da parede, é só usar a imaginação e variar as alturas dos vasos e espécies de plantas”, ensinam.

2

INVISTA EM SUPORTES ELEVADOS

Outra possibilidade consiste em adotar suportes elevados para que os vasos possam ser compostos em diferentes alturas. Essa é uma opção conveniente para quem não pode ou não quer usar vasos suspensos, bem como para quem deseja complementá-los de uma forma distinta.

A proposta inclui utilizar prateleiras e até estantes para dar suporte aos vasos. A verticalização permite o aproveitamento do ambiente, só que adota uma escolha simples e que funciona para muitos casos.

Recorrer a prateleiras em diversos níveis, inclusive, é um jeito de dar dimensão e profundidade à composição. O cuidado principal tem a ver com a distribuição e com o planejamento, de modo a garantir um resultado interessante.

CRIE UM JARDIM VERTICAL

É quase impossível falar de urban jungle sem citar um dos principais queridinhos de quem deseja ter o verde em casa: o jardim vertical. Essa é uma opção que aproveita o espaço da melhor maneira e ainda ajuda a criar uma parede verde muito especial. Tendência em boa parte dos projetos com essa pegada, pode ser elaborado no imóvel, desde que algumas características sejam observadas.

O primeiro aspecto é o lugar escolhido. É indispensável que ele tenha luz e ventilação para que as plantas vivam. Não adianta selecionar um canto escuro e isolado do corredor, porque o resultado não vai ser interessante. Também é indicado recorrer às plantas com cuidados semelhantes — ter todas de sol ou todas de sombra garante que elas estejam sempre bonitas e vistosas.

Quanto à estrutura, não faltam opções. É possível usar pallets, suportes ripados ou treliçados ou até canos de PVC. Além de adotar a proposta de urban jungle, é algo que tem tudo a ver com a sustentabilidade.

1

Já sobre os cuidados com a rega, há duas possibilidades principais — mas isso tem que ser definido com antecedência. “Ela pode ser manual ou automática. Para os jardins menores, a irrigação manual funciona muito bem, mas para paredes grandes o ideal é optar pelo sistema de irrigação automático. Desse modo, as plantas são regadas em um acionamento por igual”, explicam as arquitetas.

Como as plantas ficam em contato direto com a parede, é fundamental ter cuidado com as infiltrações. A impermeabilização é indispensável e ajuda a evitar problemas com o revestimento, por exemplo. Para o piso, vale usar calhas para reter o excesso de líquido.

 

urban-jungle-decoracao-verde-1-1024x745

Além de tudo, é interessante utilizar os objetos certos para decorar o ambiente de um jeito ainda melhor. Para quem tiver uma sacada com uma minifloresta, vale a pena investir em estátuas de barro ou gesso, se houver espaço disponível.

Do lado de dentro, bibelôs de cactos e outras plantas dão um toque divertido e que combina com o ambiente. Dá até para recorrer a terrários de suculentas para adicionar mais verde.

No sofá, as almofadas estampadas dão o tom e a sala ainda pode contar com cordas de amarração, cestas de palha e banquinhos de apoio. Assim, o ambiente todo conversa e combina de um jeito diferente.

A tendência de urban jungle tem tudo a ver com a nova geração e seu interesse por elementos naturais e pela sustentabilidade. Com essas dicas, é possível adicionar florestas urbanas aos seus projetos de um jeito fácil e com excelentes resultados!

Gostou do post? compartilha!

Fonte:Portobello

Como escolher o piso ideal para cada ambiente do seu projeto

Conheça os 8 tipos de piso indicados para projetos residenciais e comerciais:

  • cerâmica
  • porcelanato
  • cimento queimado
  • ladrilho hidráulico
  • mármore
  • granito
  • laminado de madeira
  • piso vinílico

1- Cerâmica

Vamos começar a falar sobre os tipos de piso citando um dos mais utilizados: o cerâmico.

O material é produzido a partir da prensagem da argila úmida e peneirada. O piso cerâmico pode ser usado tanto em ambientes internos e externos.

Entre suas vantagens está a resistência à água e a manchas e a variedade de texturas e paginações.

Existem muitos modelos e acabamentos de piso cerâmico, que pode ser natural ou acetinado, pode ser estampado ou pode ainda imitar outros materiais como a madeira, pedras e até mesmo tecidos.

FURNITURE

2- Porcelanato

Quando falamos sobre tipos de piso, o porcelanato é um dos queridinhos dos clientes! E eles têm razão, afinal, o material é de alta qualidade e deixa qualquer projeto muito mais elegante.

Existem vários tipos de porcelanato, e a diferença entre eles é basicamente a intensidade do brilho e a presença de texturas.

FURNITURE                                            sala de jantar com piso porcelanato (projeto: Lorrayne Zucolotto)

3- Cimento Queimado

O piso de cimento queimado é aquele que tem aparência de inacabado, ideal para ambientes com o estilo rústico ou industrial.

Ele é feito com uma base de cimento, areia e água e finalizado com pó de cimento.

Porém existem diversos produtos no mercado que foram desenvolvidos para dar o efeito de cimento queimado ao piso.

Uma das vantagens desse tipo de piso é a facilidade na aplicação e o baixo custo para a obra. Porém, ele não é indicado para ambientes úmidos, como o banheiro.

FURNITURE                                Projeto por IBD Arquitetura

4 – Ladrilho Hidráulico

O cliente gosta de tipos de piso com variação de estampas e feitos de forma artesanal? Então o Ladrilho Hidráulico é uma opção interessante para o projeto.

O material, feito com uma combinação de pó de mármore, cimento e corantes, deixa qualquer ambiente com mais personalidade.

Devido ao processo de fabricação, seu custo costuma ser mais alto. Porém existem cerâmicas e porcelanato que imita a aparência do ladrilho hidráulico.

FURNITURE

5- Mármore

Tipos de piso frios são interessantes para regiões mais quentes, e o mármore é um das opções nesses casos.

Mas se o cliente mora em um local mais frio, uma alternativa é usar sistemas de aquecimento de piso ou tapetes.

O revestimento natural é constituído de calcita, um dos componentes do calcário. Extremamente luxuoso, o piso de mármore traz aspecto de limpeza e tranquilidade.

Entre as suas desvantagens, está a baixa resistência a impactos e soluções ácidas.

FURNITURE                                     projeto: Andrea Petini

6- Granito

Assim como o mármore, o granito é um revestimento que traz imponência e luxuosidade para os ambientes.

Mas ele apresenta uma vantagem: entre os dois tipos de piso, o granito é o mais barato.

Outros benefícios dessa pedra natural é a facilidade de limpeza e a resistência, o que possibilita que ele seja aplicado em locais com maior fluxo.

FURNITURE

7 – Laminado de madeira

Revestimentos de madeira também aparecem entre os tipos de piso mais pedidos pelos clientes. Como a madeira natural tem um custo alto, uma alternativa interessante é o piso laminado de madeira. O revestimento, feito HDF (painel de madeira de alta densidade), deixa o ambiente aconchegante e tem fácil instalação.

Esse é um dos tipos de piso que não se dão muito bem com a umidade. Por isso, não é recomendado para o uso em áreas molhadas (banheiro ou cozinha).

FURNITURE

8 – Piso Vinílico

O piso vinílico é muito semelhante ao piso laminado e, muitas vezes, os dois são confundidos. A diferença é que ele é produzido a partir de PVC.

Outra diferença entre os tipos de piso é que o vinílico necessita de uma superfície nivelada para a instalação.

Já o laminado pode ser aplicado em qualquer lugar, desde que o contrapiso conte com, no máximo, 3 mm de saliências em uma extensão de até 1 m.

Entre as vantagens do piso vinílico está o conforto térmico, acústico e a resistência a manchas.

FURNITURE

Gostou? Confira mais dicas em nosso blog

Fonte:Viva Decora

O que é Construcard?

Está pensando em reformar, construir? Mudou para seu novo lar e faltou orçamento para fazer seus móveis? Conheça os benefícios do cartão Construcard.

O Construcard é uma linha de crédito para compra de material de construção em lojas credenciadas pela Caixa. Ao contratar o financiamento, você recebe um cartão e tem até seis meses para comprar tudo o que precisar.

Com o cartão, você pode comprar, além de materiais de construção mais comuns (como tijolos, esquadrias, pisos, telhas e tintas), armários não removíveis, piscinas, elevadores, caixas-d’água, aquecedores solares, aerogeradores e equipamentos de energia fotovoltaica.

google-meu-negocio

Além da facilidade do débito em sua conta-corrente, você conta com a segurança e a agilidade da Caixa e com uma rede de milhares de lojas conveniadas.

Como funciona?

​O financiamento tem duas fases: utilização e amortização. A primeira fase destina-se à compra do seu material de construção, que pode ser entre dois e seis meses. Durante esse período, você paga somente os juros dos valores utilizados.

A segunda fase, que pode variar entre um e 240 meses, é a amortização do saldo devedor, ou seja, o pagamento mensal das prestações até a quitação do financiamento. Essa etapa só começa após o fim do prazo definido para compras.

Garantias: aval, alienação fiduciária de bem móvel, caução de depósito/aplicação financeira ou alienação fiduciária de bem imóvel.

Sistema de amortização: Tabela Price.

Vantagens

Imagem de uma mão segurando uma nota de dinheiro

Facilidade

As compras são feitas por meio de um cartão personalizado, em lojas credenciadas e as prestações são debitadas direto na sua conta-corrente.

Condições Especiais

Com a apresentação de garantia (alienação fiduciária de bem imóvel, caução de aplicações financeiras e/ou alienação fiduciária de veículos) você tem condições especiais! Quem recebe seu salário em conta Caixa também conta com melhores condições no financiamento! Procure uma das agências da caixa e saiba mais.

Prazos flexíveis

Prazos flexíveis de até 240 meses para clientes que apresentarem garantia real à operação (alienação de bem imóvel ou caução de aplicação financeira).

Comodidade

Desbloqueie e consulte saldo e extrato de compras do seu cartão Construcard no Atendimento Cartão Construcard pela internet Aplicativo Construcard (disponível para iOS e Android). As informações de compras realizadas são enviadas via SMS.

São milhares de estabelecimentos conveniados por todo o país que aceitam o Construcard.

Requisitos

      • Maior de 18 anos ou emancipado
      • Possuir uma conta corrente na Caixa
      • Ser aprovado nas avaliações de cadastro e de risco de crédito

 

Documentação

    • Identidade
    • CPF
    • Comprovante de Residência
    • Comprovante de Renda Atualizado
    • Documentos da garantia, se for o caso
    • Comprovante de propriedade do imóvel (carnê de IPTU/ITR com vencimento no ano corrente, certidão da matrícula do imóvel, cessão de direitos do imóvel ou, no caso do imóvel financiado pela Caixa, comprovante impresso por empregado Caixa, na agência).
    • No caso de imóvel de terceiros, basta uma declaração de ciência, assinada e com firma reconhecida, do proprietário do imóvel a ser reformado, além do comprovante da propriedade.

Vá até uma agência da caixa e saiba mais!

 

Fonte: Caixa Econômica Federal

Vai vender seu imóvel? veja essas super dicas!

Não é nenhuma novidade que tornar um imóvel mais atrativo facilita a negociação e a venda. No mercado de imóveis, deixar um imóvel mais atraente é conhecido como “valorizar o imóvel” e como o próprio termo já diz, agregar a ele um valor maior. Existem muitas formas de valorizar um imóvel. Veja algumas delas:

Veja com o olhar do cliente

A primeira dica para valorizar um imóvel é bem simples, mas muitas vezes é esquecida. Tente ver se o seu imóvel está agradável pelo olhar do cliente. O ambiente está te passando sensação boa, você se sente confortável nele? Se a resposta for negativa, é preciso mais atenção e avaliar onde está o erro antes de agendar qualquer visita, seja ela com corretor ou diretamente com cliente. Afinal, a primeira impressão é a que fica. Dificilmente um cliente retornará ao imóvel que não se sentiu confortável.

Como deixar o ambiente aconchegante

Ao visitar o imóvel, é necessário que o cliente consiga se imaginar morando lá, afinal fica difícil ter um bom discernimento do potencial do imóvel se o mesmo estiver bagunçado, sujo, desorganizado. Então vamos lá:

Organize os itens básicos, mesmo que o imóvel esteja vazio tente passar um ar de “habitado”. Algumas ideias são:

  • Dê descarga e abaixe a tampa dos vasos sanitários;
  • Ligue o ar condicionado se estiver calor;
  • Utilize uma música ambiente;
  • Abra as cortinas;
  • Deixe o ambiente mais iluminado
  • Retire o ventilador da sala pois dá ideia de ambiente quente (mesmo que não seja);
  • Decore suavemente o ambiente com flores, por exemplo.
  • De preferência recolha os porta retratos e diminua o excesso de itens que sejam extremamente pessoais como por exemplo “aquela’ coleção de itens de couro pintados à mão e por ai vai.

Veja a pintura e acabamento das paredes

Independente da estrutura do imóvel, um acabamento novo pode fazer toda a diferença no momento da venda. Isso vale para imóveis novos ou antigos. Uma “mão de tinta’ encobre pequenas imperfeições que depois não vai fazer nenhuma diferença já que o comprador acaba que personalizando o imóvel de acordo com seu gosto e necessidades, como troca de móveis e cor de parede. Veja bem: não estamos dizendo para você mascarar problemas. Mas sim ressaltar as qualidades e arrumar o que pode virar fator negativo para a decisão da compra.

Organização é tudo

Remova tudo que é desnecessário no imóvel, objetos espalhados pela casa. Se você tem criança, reúna todos os brinquedos em um só lugar, não deixe nada espalhado pelo imóvel. Se seu imóvel ainda está mobiliado, tente deixar tudo mais clean. Cômodos com menos móveis dão a sensação de amplitude, valorizando ainda mais o seu imóvel.

Atenção para a cozinha: nada de louça suja na pia, restos de comida pelos móveis ou chão. Descaracterize a cozinha com seus objetos pessoais como imãs de geladeira, ornamentos, etc. Tudo que possa fazer com que o cliente venha a sentir que ali pode ser seu futuro lar.

Cuide da circulação do ar

Faça o ar do ambiente circular. Especialmente imóveis que estão desocupados tender a ter um odor desagradável. Como a circulação do ar é um aspecto muito observado por quem aluga o imóvel, é fundamental garantir que a temperatura esteja aceitável, que o apartamento pareça a arejado e quantidade de sol suficiente.

Caso seja necessário, chegue antes do horário marcado com o possível cliente e prepare o local. Você pode abrir as janelas e cortinas, ligar o ar condicionado ou ventiladores.

Torne a iluminação equilibrada

O mesmo vale para iluminação. Utilize recursos para mostrar para seu cliente que a iluminação do ambiente é adequada. Se for um imóvel que recebe muito sol, opte por utilizar cortinas, se o imóvel tiver mais horas do dia na sombra, utilize lâmpadas mais claras, e assim por diante. Analise os pontos fortes e fracos da iluminação e procure equilibrá-los.

 

Por meio de investimentos relativamente baixos, é possível gerar muito mais valor ao imóvel e tornar a venda mais simples. Você tem alguma dica para facilitar a venda de imóveis? Deixe nos comentários!

Veja também: Ambientes integrados e humanização de espaços ; Está demorando para vender ou alugar seu imóvel?Entenda as causas que podem estar influenciando isso.

Idéias para Decorar Quartos Pequenos

 

Nos últimos anos, como reflexo da economia no país, ocorreram mudanças significativas no comportamento do brasileiro. Cada vez mais as pessoas estão se casando mais velhas, seja em busca de uma dedicação e foco na carreira profissional seja por comodidade. Contudo, estão deixando de viver com os pais cada vez mais jovens. Isso faz com que exista uma grande demanda por apartamentos compactos como é o caso do J. Smart Vicente Leite

Nos apartamentos compactos ou studios, todos os cômodos são pensados para a funcionalidade do dia-a-dia. O quarto, em especial, por ter tamanho já reduzido, requer um pouco mais de atenção na hora da decoração e aproveitamentos de todos os espaços.

A boa notícia é que alguns truques simples de decoração vão fazer o seu quarto ficar mais prático e parecendo bem maior.

1. Opte por cores claras

Cores claras fazem o espaço parecer maior, mesmo que apenas visivelmente. O importante é a sensação da amplitude. Aposte no branco ou em uma paleta de cores claras.

2. Use abuse de prateleiras

Em espaços pequenos, as paredes são suas aliadas! Aproveite todo e qualquer espaço. A ajuda de um bom profissional nesse momento é muito importante, para que todos os espaços sejam aproveitados.  Em tese, qualquer parede serve, mas se você instalar a prateleira na parede atrás da cama, vai conseguir um efeito legal dispensando a necessidade de uma cabeceira, que ocuparia ainda mais espaço.

3. Aposte nos espelhos

o uso do espelho consegue dar um aspecto maior à decoração de quarto. Além de servir pra dar aquela conferida no visual, o espelho também reflete e dobra o espaço e todas as melhorias que feitas nos quartos pequenos, como as paredes claras e a iluminação.

 

4. Menos é mais no quarto pequeno

Aproveite bem todos os espaços. Aproveite todos os espacinhos que conseguir encontrar pelo quarto. O espaço embaixo da cama pode e deve ser aproveitado em quartos pequenos! Use gavetas ou cestos para organizar enxoval, sapatos e até roupas, liberando mais espaço em outros lugares como armários e cômodas.

5. Móveis baixos dão a sensação de amplitude

Um truque muito usado pelos profissionais de decoração em quartos pequenos é manter a linha da altura dos móveis baixa, assim o pé direito parece maior e a sua sensação de quarto grande só aumenta!

6. Aproveite bem todos os espaços

Aproveite todos os espacinhos que conseguir encontrar pelo quarto. O espaço embaixo da cama pode e deve ser aproveitado em quartos pequenos! Use gavetas ou cestos para organizar enxoval, sapatos e até roupas, liberando mais espaço em outros lugares como armários e cômodas.

7. Aproveite as paredes

Instalar abajures e luminárias na parede ou no teto é uma ideia que vai poupar um bom espaço no seu criado-mudo, além de deixar o quarto mais organizado, com visual mais leve e, por consequência, maior.

8. TV na parede otimiza o espaço

Se você é daqueles que gosta de ver um pouco de TV antes de dormir, sabe que ela pode ocupar um bom espaço. O ideal em quartos pequenos é apostar em murais ou painéis de parede para prender o aparelho e economizar espaço, dispensando muitas vezes até a necessidade de um móvel que seria usado como apoio para a TV.

9. Seja criativo

A última dica também é a mais importante: seja criativo ao decorar o seu quarto pequeno! Aproveite os espaços mais inusitados, como o teto, para guardar coisas, por exemplo. Você também pode dispensar móveis que podem ser supérfluos, como uma cabeceira.

  • Gostou das dicas? aproveite e veja também:

Faça você mesma seu quadro de fotos

Usando o feng shui

Plantas para decorar

 

Como decorar uma varanda gourmet

Apartamentos e casas com plantas diferenciadas estão em evidência no mercado, com mais espaço destinados para a varanda, a tornando mais do que um espaço para relax, mas também para uso gourmet. Vejam essa linda varanda gourmet, em um apartamento de 93m² localizado no bairro Dionisio Torres, em Fortaleza-Ce.

aolatjm0fpox

Se você está em processo de escolha do seu apartamento e puder optar por um com varanda gourmet, saiba que não irá se arrepender. Afinal, essas varandas são ideais para receber os amigos ou para curtir aquele momento com a família.

O que é uma varanda gourmet?

Sabe a função do quintal e jardins? Então, as varandas ganharam funções semelhantes, sendo ambientes de descanso e para receber amigos e familiares. Mas para que tenha realmente essa função, de acordo com o conceito de arquitetura,  elas veem equipadas com bancadas de apoio para preparar bebidas e alimentos, espaço para cozinhar (seja fogão elétrico ou churrasqueira) e receber seus convidados.

Apesar disso, nem todas as varandas gourmet seguem 100% à risca o que diz a regra. Assim, dependendo do tamanho, algumas pessoas dispensam os equipamentos de cozinha na própria varanda — reduzindo-os a uma churrasqueira simples ou integrando a varanda à cozinha americana, em alguns casos.

furniture

Como decorar uma varanda gourmet?

Sempre leve em conta o aconchego e bem-estar seu, de sua família e convidados. Avalie algumas características essenciais para que esse ambiente fique aconchegante e de acordo com os seus gostos e preferências. Veja algumas dicas:

  • Compreenda o espaço da sua varanda gourmet – mesmo que pequenas, as varandas, quando projetados por um bom profissional ganham espaços antes nunca vistos. Então invista em u bom profissional;
  • Não sufoque o ambiente com muitos itens e lembre-se de que é fundamental manter uma boa circulação no espaço para que você consiga deixá-lo aconchegante.
  • Defina o objetivo da sua varanda gourmet – Qual será o uso primordial da sua varanda gourmet? Receber os amigos, passar mais tempo com a família, relaxar? Para cada necessidade podem existir projetos diferentes. Mais uma vez um bom profissional saberá captar sua necessidade e transformá-la em realidade.
  • Feche o ambiente com blindex ou vidro – Dessa forma, caso haja um número maior de pessoas no ambiente, você promoverá uma maior aproximação de todos os presentes. Opte pela cortina de vidro, que é o mais usual, que também pode ser aberta para arejar o ambiente. Além de dar mais intimidade, essa opção ainda ajuda a proteger o local do frio e da chuva.
  • Invista em iluminação

Voilá! Agora é curtir sua varanda, recebendo amigos e familiares, para momentos alegres e descontraídos.

E então? Gostou das nossas dicas de como decorar uma varanda gourmet? Aproveita e veja mais dicas de decoração e saiba tudo sobre o mercado imobiliário assinando nossa newsletter.

Veja também:

Como escolher a capa para o sofá

É coisa do passado achar que capa no sofá era considerado “cafona” e feia. Nos dias de hoje, esse assessório tornou-se essencial tanto para dar uma revigorada na sua sala cobrindo um sofá que está velhinho mas não está dando para trocar no momento quanto para preservar o tecido do seu sofá “estalando” de novo. Vamos lá?!

Muitos pontos são levados em consideração na hora de escolher uma capa bacana para compor a sua decoração de sala de estar.

Confira  4 dicas para escolher a capa perfeita

1-Como escolher a capa ideal

Você tem a opção de comprar uma manta pronta ou customiza-la escolhendo o tecido que mais gosta e de acordo com a padronização de decoração da sua sala.

Ao comprar o tecido e mandar fazer sua capa, escolha um bom profissional com experiência, para que a capa tenha um caimento perfeito, sem sobras de tecido ou com ajuste ruim. Com certeza ele tirará todas as medidas e será feito um molde para o caimento ficar bacana. Com a contratação do bom profissional, além da questão da estética, você também reduz o gasto excessivo de tecido eduzindo assim o valor gasto na compra do mesmo.

giphy

2-Vantagens

  • Mudam e revitalizam a decoração
  • Mais barato e fácil de trocar quando se quer esconder um furinho ou alguma manchinha
  • Protegem diversos moveis na sua casa ou apartamento
  • São versáteis, podendo ser usadas em várias ocasiões
  • Fáceis de guardar e lavar

BANNER BLOG (1)

3- Como escolher o tecido ideal

Além de ser um item de proteção, a capa é um item de decoração e é por isso que elas devem ser feitas com tecidos mais nobres e sofisticados, proporcionando um contraste bacana.

Os tecidos mais usados para a confecção de mantas são:

  • Sarja
  • Sarja peletizada
  • Brim
  • Chantung
  • Veludo
  • Lona

BANNER BLOG

4- Estampas e Cores

Há muitas opções no mercado de tecidos lisos, estampados ou com texturas. Caso seu sofá seja liso e com uma cor neutra, a capa deve ser estampada, com cores e texturas fortes, ou vice e versa.  Além capas de sofá, as almofadas também são bem-vindas, além de ser confortáveis, ajudam a compor a decoração e dão ar de aconchego em qualquer cômodo da sua casa. Só não pode esquecer de pensar na combinação de cores e estampa. Use e Abuse dessa nova tendência elegante e que está tomando conta das capas de revista de decoração.

BANNER BLOG (2)

E então? Esperando o quê? Aproveite essas super dicas e vai já encomendar a sua!

Continuar lendo Como escolher a capa para o sofá

Faça você mesma seu quadro de fotos

Super dicas para quem quer deixar seu quarto ou até mesmo outros ambientes da casa com um ar mais divertido, de uma maneira diferente.

Design sem nome (7)

Você vai fazer de uma maneira bastante original que o espaço fique com a sua cara, mostrando os seus melhores momentos através de fotografias. E não custa caro! Melhor, sim?! Seja feito com fios de lã, cabides, barra de aço, o que for. O que vale é que tenha a sua cara, cada foto pensada e saborosamente recordada.

o45

Gostou? Corre lá e faça o seu!

Vamos colocar a mão na massa? Dicas de reciclagem

Que tal contribuir com a natureza e começar a reciclar dentro de casa? Olhe em volta e pense: existe na sua casa, apto ou escritório, ou até mesmo na casa de um amigo ou familiar, um móvel do qual você não gosta, mas que ninguém consegue se desfazer? Que você acha que não tem mais solução e ele fica Lá, “encostado” criando um acúmulo, principalmente, de energia? Se a resposta for sim preste atenção: está na hora do faça você mesmo!

Afinal, desperdício e compras em excesso não são nada sustentáveis e em nada contribuem para o bem do planeta e nem do seu bolso, não é?

Vamos lá!

Dica de hoje: Mesa de centro repaginada

 

 

Foto Marcos Lima

Esta charmosa mesa de centro com pés palito (80 x 40 x 45 cm*), ganhará uma nova roupagem. Como a madeira do tampo estava desgastada, somente pintura não resolveria o caso. “A solução foi revestir a superfície de laminado melamínico”, explica o repórter visual Mario Mantovanni, autor da transformação. O tom eleito, verde-limão, assegurou o visual moderno e cheio de estilo

Passo-a-passo:

– Lixe o móvel e use um pano seco para limpar o pó.

– Com um estilete grande, recorte a placa de laminado do tamanho exato do tampo ou, se preferir, deixe alguns centímetros de margem para facilitar a colagem.

– Passe cola de contato no verso do laminado e no tampo da mesa. Fixe um no outro, pressionando com um pano do centro para as bordas. Deixe secar de um dia para o outro. Retire as rebarbas com o estilete e lixe as quinas até que fiquem arredondadas. Isole o novo tampo com fita crepe e aplique duas mãos de tinta preta em spray nas laterais e nos pés da mesa.

– O acabamento fica por conta do verniz brilhante em spray. Depois da secagem, é só retirar a fita crepe e o trabalho está finalizado.

Materiais:

Laminado Verde Oasis, ref. L 011, brilhante (Formica).

Cola de contato Cascola Extra sem Toluol (200 g), da Henkel.

Tinta em spray Colorgin Arts preto, ref. 651 (350 ml).

Verniz em spray Acrilfix brilho (300 ml), da Acrilex. C

 

Gostou? Então corre e faça já o seu!

Claro que também vale contratar alguém para fazer o serviço, ou parte dele. O importante aqui é reaproveitar algo que você já tenha e fazer com que essa peça faça parte do seu dia a dia, agregando beleza a decoração.

 

Fonte:Casa Abril

Gostou dessa dica? Veja também: Inspire-se: ambientes com suas versões Antes e Depois